O Abismo





Alguma vez já ouviu falar de um jogo chamado "O Abismo (N.T: Em inglês, 'The Depths')?". Não é surpreendente se você não tiver ouvido. Ele nunca foi lançado para o público. Cópias contrabandeadas foram espalhadas pelos Estados Unidos por volta de 2006 - 2007, mas tinha completamente desaparecido em 2008. Até o momento, apenas algumas pessoas falaram saber sobre o jogo e poucas destas tinham realmente jogado-o. Ainda é desconhecido quem desenvolveu o jogo ou de onde ele veio, pois nenhum detalhe é encontrado em nenhum lugar onde os arquivos eram instalados.

Adicionalmente, ninguém nunca terminou o jogo devido as gratuitas montanhas de imagens assustadoras retratadas e o trauma que seguiu. O que vem a seguir é uma descrição do O Abismo, daqueles que o jogaram.

Os usuários que instalaram o jogo com sucesso diziam que depois da instalação seus computadores nunca mais funcionaram como antes. Travadas, telas azuis, arquivos corrompidos eram comum depois de joga-lo. O único jeito de remover o jogo limpando o hard drive. Não adiantava deletar arquivos, desinstalar, nada. Ele permanecia no computador, nunca sumia. Alguns usuários reportaram ver alguns arquivos sendo clonados em diferentes partes de seus computadores - como uma clonagem - fazendo os arquivos aparecerem em pastas indesejadas.

O cenário do jogo é supostamente o topo de uma montanha, em um ambiente com bastante neve e seja lá quando o jogador andasse para muito longe, eles caiam e morriam. Nada demais pode ser visto de inicio, apenas neve. Um display infinito de neve caindo. Isso era o que deixava os jogadores mais frustrados. Eles tentavam andar para todas as direções possíveis para achar apenas mais neve, até que caíssem no infinito branco e morressem. Aí era onde a maioria dos usuários paravam de jogar, embora os jogadores persistentes acharam uma forma alternativa.

Levava múltiplas mortes, mas eventualmente o jogador descobria para onde ele devia ir: para baixo. Assim que criado você pode olhas para baixo e ver uma porta aparafusada. Abrindo-a, lava o jogador para a nova sequência do jogo.

Assim que a porta é aberta, o jogador começa a cair em uma cova escura. É um breu completo e tudo que pode ser ouvido é o som do vento enquanto tu caí. Depois de 20 segundos de uma queda ininterrupta, você vê luz no fim do túnel. O jogador chega no fundo da cova, e logo que eles tocam o solo, um grito pode ser ouvido. O jogador está agora em um grande salão sem portas ou saídas, apenas a luz e o túnel logo acima.

As paredes são cobertas de sangue, a luz oscila, e o som de um baixo balbuciação está tocando de fundo. Essa área é onde a maioria dos jogadores desistem - alguns por tédio outros por medo.

Não há nada que o jogador possa fazer nesse ponto exceto andar pelo salão, procurando por seja lá que eles deviam fazer a seguir. Mais sons começam a tocar enquanto o jogador caminha: vento soprando, água pingando, rosnados. Os jogadores geralmente ouvem os rosnados atrás deles, com medo, eles se viram rapidamente. Quando o jogador se vira, eles vêem  por uma fração de segundo, uma figura escura correndo para a escuridão do quarto.
Isso acontece todas as vexes que o jogador olha repentinamente para trás. Tocando as paredes mal iluminadas faz com que o jogo trave por alguns momentos antes de voltar ao normal. Mais sons começam a ficar audível, e eventualmente um piano batendo e gritando se torna mais e mais frequente. 

O volume dos barulhos cresce enquanto os jogadores tentam mutar seus sons, mas é impossível. Os sons continuam tocando até ficarem em nível altamente estridente. Nesse ponto todos os jogadores experimentaram a mesma coisa. Os jogos brilhavam, os mouses paravam de funcionar, e o quarto estaria repentinamente cheio de corpos mortos. Cadáveres sem vida, surgindo do nada, por todo o salão em pilhas até que o jogador estivesse quase coberto de corpos. Cada um dos corpos estão falando murmurando palavras indistinguíveis.
Suas bocas dizem coisas sem sentido enquanto os olhos parecem estar apertos, mas são completamente negros. O jogador é obrigado a ficar falando com os cadáveres por estarem presos e não poder sair do lugar. A única coisa que podem a fazer é olhar em volta e ver os corpos o encarando e falando coisas irreconhecível em um tom demoníaco.

Nesse ponto, o jogador é incapaz de pausar ou sair do jogo. Eles podem apenas olhar e ver os corpos falando em uma linguagem sem nexo. Isso continua por apenas um curto período de tempo, mas nesse ponto, a maioria dos usuários remanescentes tinham desligado a força seus computadores. Os cadáveres em certo ponto mudavam suas palavras sem sentido para uma unissonância. Em um último grito, todos mantinham suas bocas abertas em um grua impossível. Parece-se como se suas mandíbulas quebrariam a qualquer momento enquanto eles gritavam em um volume alto alarmante.

O grito coletivo dos corpos ficam mais alto, e mais distorcido. Assim que os gritos se tornam quase insuportáveis, corta para uma tela preta e os gritos param de repente. Essa escuridão dura por um longo tempo. O jogador começa a ouvir uma risada perto de si. O riso está fora, entretanto; parece que alguém mexeu com o áudio. A risada se aproxima cada vez mais até que finalmente, acaba com um "HA!" muito alto. Esse som é acompanhado por um frame da foto do rosto de um velho, retorcido pela idade, e tapando a maior parte da tela. Ele tem sua boca aberta... sorrindo.

Esse frame aparece apenas por alguns milésimos de segundo, e logo depois a escuridão acaba. Mesmo que tenha apenas uma fraca luz, o jogador pode olhar para baixo e ver seu corpo amarrado em um poste de madeira. 

Essa parte é quando os usuários descrevem como a pior. A luz acima deles, brilhando no jogador, é confinada em um pequeno circulo em cima dele. Sombras pequenas começa a parecer no circulo no chão; as sombras parecem com corpos distorcidos e multilados. Finalmente pegadas são ouvidas. O velho da foto pode ser visto de corpo inteiro enquanto ele anda até seu corpo imobilizado. Ele é baixo e careca; seu rosto esta abaixado e ele esta usando um par de calças surradas.

Seu dorso está quase completamente rasgado ao meio. A única coisa mantendo o corpo de não se partir em dois é o fio de pele conectando o pescoço com sua cabeça; A perna esquerda dele esta substituída por um longo e enferrujado tubo de metal. Enquanto ele se aproxima de você com tesouras no lugar de mãos, os arranhões do tubo metálico no chão dão ao jogador a sensação de unhas arranhando um quadro. Quando ele está perto de você, ele olha para cima. O jogador pode ver seu rosto inteiro.

O rosto do homem se parece igual ao que aparecera antes. Seus olhos parecem estar faltando e sua boca está aberta, sorrindo. Esta coberta de sangue - sangue que parece seco a alguns dias. Ele começa a girar a cabeça enquanto olha para você com sua boca aberta. O jogador pode apenas olha-lo, se poder se mexer. O homem levanta seu braço torcido segurando tesouras, e enfia em seu corpo. Sangue jorra de seu corpo em quantias anormais. Os poucos jogadores que presenciaram essa cena, descrevem-na como horrivelmente realística.

O homem pega as tesouras e leva até o seu pescoço, deixando com um efeito de zíper que nem a do seu dorso. O corpo do jogador é aberto e as entranhas caem para fora em cima do peito do velho. Ele então remove as tesouras, vai até o chão e pega um espelho. Ele vira o espelho para você. Mesmo sendo que o rosto do jogador não pode ser visto no reflexo do espelho, o peito do jogador - agora cortado ao meio- pode ser vista toda a cena grotesca.
O homem então deixa o espelho cair, vai ao chão novamente, e pega um machado. Ele balança o machado até o poste de madeira em que você esta amarrado, várias vezes, até que o poste e você caiam ao chão.

O jogador agora está olhando para o teto, ouvindo o velho rir. Ele se ajoelha na frente de seu rosto, com a boca ainda aberta, e deixa sair um último "HA!". Ele se levanta e anda em volta do jogador segurando seu machado, arrastando sua perna de metal enquanto caminha. Quando ele chega aos pés do jogador, ele deixa escapar quatro palavras em uma voz nojenta e repulsiva, "Apenas... igual..." Ele levanta o machado acima de sua cabeça, olha para você, e gora a cabeça. Ele grita as palavras finais enquanto ele acerta o machado em seu joelho.

"A MIM!"

O jogo continua. Poucos jogadores ficaram até esse ponto.

Depois que o homem arranca sua perna, ele continua rindo e vira sua cabeça. O sangue de seu ferimento spray por todo o dorso dele enquanto tudo que o jogador pode fazer é olhar em volta e ver seu próprio corpo multilado, amarrado no poste ensanguentado. O homem deixa cair seu machado. Ele vem até você e se ajoelha, e abre sua boca de um jeito impossível. Ele parece te engolir.

O jogo trava por um momento e tudo que o jogador pode ver é a boca do velho. Em vez de cortar para tela preta, você é instantaneamente levado para outra cena; dessa vez, o jogador está em um longo e escuro corredor, iluminado apenas por tochas na parede. O jogador está mancando.

O jogador pode apenas andar em uma direção - a frente - até o final do que parece um corredor infinito. A cada passo que p jogador dá, a câmera treme e fica embaçada, até que, finalmente, nada pode ser visto além de círculos de luz. Por essa nebulosidade, uma pequena figura é vista à distancia. Parece ser a mesma figura vista antes na escuridão do quarto antes; está desfigurada e deformada. Instantaneamente a figura pula na visão do jogador assim que a tela fica mais clara novamente.

Dos poucos jogadores que restaram, cada um disse ver uma coisa diferente pulando em sua direção. Entretanto, em cada uma dessas vezes, era apavorante. O medo que eles sentiram naquele momento era indescritível, tão esmagadora que todos eles fecharam seus jogos naquele mesmo momento. Os usuários que jogaram essa cena reportaram que o jogo tinha um efeito de curto-prazo na sua saúde mental, mas não a longo-prazo. Até hoje, ninguém jogou além desse ponto.

Um comentário:

  1. Esse é o único site q achei falando sobre esse jogo

    ResponderExcluir